Vício em internet namoro

Como confirmar uma traição: dicas da Elite Detetives Elite Detetives

2019.06.24 17:51 Amanda3exceler Como confirmar uma traição: dicas da Elite Detetives Elite Detetives

Nada machuca mais como a traição de um cônjuge. A maioria dos especialistas concorda que, se o seu cônjuge te trai, a melhor maneira de confirmar isso é contratando um detetive particular.
No entanto, antes de contratar um investigador, fazer uma bisbilhotagem por conta própria também é uma opção.
Dessa forma, a equipe da Elite Detetives separou algumas dicas que você pode usar para confirmar ou esclarecer suspeitas de traição.

Não quebre a lei

Antes de mais nada, a primeira dica do detetive particular da Elite é: não viole nenhuma lei. Procure aconselhamento jurídico antes de tomar qualquer medida que possa violar a privacidade do seu cônjuge. Se você violar a lei e seu casamento terminar mal, seu cônjuge poderá levá-lo a tribunal por suas ações ilegais.
Isso significa que algumas das dicas que você encontra na internet são totalmente ilegais para você. Isso inclui: hackear telefones, redes sociais, contas de e-mail, etc. Sim, você terá a prova do caso, mas estará se expondo a processos judiciais.

Verifique o telefone da pessoa

Os telefones celulares são alguns dos dispositivos mais pessoais que possuímos. Portanto, não é surpresa que seja usado por infiéis na condução do caso. E a maioria aprende a proteger seus telefones desde o início.

Alguns sinais de alerta:

Verifique o histórico do navegador

Se você tiver acesso legal ao computador que eles usam, verifique o histórico do navegador do cônjuge. Isso pode lhe dizer os sites e páginas que eles entram. Visitar sites de namoro e páginas de mídia social que eles mantêm em segredo é motivo de preocupação.
Se eles apagarem o histórico do navegador após o uso, você poderá verificar novamente em uma data posterior. Se eles têm o hábito de limpar o histórico do navegador, é uma boa aposta que eles estão escondendo algo.

Mantenha um diário

Monitore a atividade de seu cônjuge em seu diário. Estes podem incluir viagens ou atividade suspeita de cartão de crédito. Tome nota das viagens que demoraram mais do que o normal, como as idas à loja da esquina que agora levam algumas horas.
A maioria dos traidores usará dinheiro para financiar o caso, uma vez que deixa menos registros – uma alteração nos saques de dinheiro deve ser observada.

Esteja preparado para o que você encontrará

Embora você possa pensar que eles estão trapaceando, também é possível que eles tenham um vício, problema familiar ou outro problema que estão tentando manter em segredo. Tente manter a calma e não entre imediatamente em acusações sem uma prova definitiva.

Como contar com os serviços de detetives particulares de qualidade?

Conte com a Elite Detetives para investigar por você. Nossa equipe de detetives particulares irá resolver seu caso, trabalhamos com investigação conjugal, empresarial, familiar, entre outros.

Conheça a Elite Detetives: https://www.elitedetetives.com.b
submitted by Amanda3exceler to u/Amanda3exceler [link] [comments]


2019.01.16 02:09 himurakensh Acho que estou no meu limite de sofrimento

Para mim é muito difícil falar disso, me julgo a cada dia que passa, me acho uma pessoa terrível e que não merece nada de bom, não entendo porque eu fazia isso...Bom, hoje em dia todos que me olham de fora devem achar que tenho uma vida tranquila e boa, namoradx, emprego bom...mas eu acho que não mereço nada na vida e só penso em desistir a cada dia.
2 anos atrás eu não tinha nada disso do que contei aqui, tinha uma vida terrível longe de familiares, isoladx e só tomando pau em tudo que é coisa na universidade, não sabendo que curso faria, pressão familiar... pensava em suicídio na época por conta disso. Hoje eu penso e com muito mais força, mas por conta da culpa que carrego em mim...eu tinha um estranho vício em me passar por outras pessoas em sites de namoro etc, era divertido (acho?) e é o que preenchia meus dias vazios, eu realmente não entendo porque fazia isso, mas me odeio muito por conta disso, não me entendo, não sei o motivo porque eu fazia isso.
Hoje eu vejo que posso ter machucado muitas pessoas que me passei por elas, não fazia ideia do mal que poderia causar, e desde então só penso que minha punição para isso é meu fim.
Todos os dias desde em que me "dei conta" eu caí na real desse vício terrível, de 2 anos para cá não tenho um dia que me sinta feliz completamente, que me sinto realizadx, que não me sinta culpadx. Na minha cabeça vive passando cenários em que sou punidx por todos pelo que fiz, perdendo namoradx, emprego, amigos, faculdade, sendo processadx ou até presx...enfim, sempre que tenho um momento feliz, logo penso que não mereço e que devo partir logo desse mundo.
Eu nunca fiz algo de grave antes disso ocorrer, andei pesquisando pela internet e descobri que tem muitas pessoas com esses sintomas de "catfish", inclusive querendo terapia etc...eu já parei faz um tempo, mas o perdão próprio nunca vem. Nunca pedi dinheiro e nada parecido, mas isso não diminui em nada minha cruz e dor.
submitted by himurakensh to desabafos [link] [comments]


2018.07.28 02:49 MLion464 Por que?

Bom, quem sou? Neste momento sou um cara de boa aparência e bom físico. Mas, quem eu era? Sempre fui o gordinho ruivo da sala, o rejeitado, o coitado, o ignorado, o que gostava da menininha que não retribuía. Eu via os moleques com altas menininhas, cheio de amiguinhos e status. Aos 16 anos fiz a burrada de me apaixonar por uma adolescente do Pará (Sou de MT). Fiquei 2 anos naquela porcaria de namoro online, porém a vontade que eu sentia de vê-la me fez mudar meu corpo e madurecer com rapidez. Entrei na academia e fui ficar em forma para um possível encontro. Bem, nosso namoro acabou, por que? Distância. Ela dizia ter um amigo que era como irmão, e que nunca teria nada com o mesmo, alguns meses depois de terminarmos, ela se envolveu com esse cara e ficou grávida, ela veio correndo de volta pra mim e eu meti o pé. Fiquei com um ódio grande, um ódio que fazia meus ossos tremer de raiva. Bom, me curei e segui em frente, porém diferente, agora eu era o que eu queria der desde pequeno. Do primeiro ao terceiro ano eu comecei a pegar as meninas da escola, mas eu sempre queria mais, ficava com amigas, uma contava ora outra, não dava nada e eu me achava, porém nunca fui de falar o que fazia para meus amigos... Hoje, com 20 anos, sinto uma necessidade de perverter qualquer mulher, fazer se render as ideias mais absurdas, até como a própria prostituição. Não sou um cara rico, apenas convenço com as palavras. Sabe, é um vício, eu não consigo sair disso, durante as tentativas de persuadir, eu sinto prazer, minha cabeça vai as alturas com as palavras de rendição de cada mulher que eu converso. Mas logo depois vem a pior parte, depois de desfrutar do ato, me vem uma solidão, uma tristeza... Algo inexplicável. E mesmo sabendo disso, minha mente me obriga a repetir os passos dia após dia. Minha mente tem o desejo de tratar qualquer mulher como objeto da minha diversão, como um brinquedinho para meu libido. É como se eu fosse um escravo dos meus desejos, pesquisei pela internet e não consigo achar nada para mudar minha mente. No começo parecia legal, mas agora vi que é uma tortura após o ato de consumo. O que me causa euforia na mente é saber que qualquer uma tem um preço (preço na persuasão), umas se rendem fácil, outras nem tanto, mas no geral, considero todas bem fáceis, bastando apenas aver falar, olhar, tocar e agir para que a mesma apenas se torne mais um fantoche controlado por minhas mãos. Cara, eu quero sair disso...
submitted by MLion464 to brasil [link] [comments]


2018.07.28 02:39 MLion464 Por que sou assim?

Bom, quem sou? Neste momento sou um cara de boa aparência e bom físico. Mas, quem eu era? Sempre fui o gordinho ruivo da sala, o rejeitado, o coitado, o ignorado, o que gostava da menininha que não retribuía. Eu via os moleques com altas menininhas, cheio de amiguinhos e status. Aos 16 anos fiz a burrada de me apaixonar por uma adolescente do Pará (Sou de MT). Fiquei 2 anos naquela porcaria de namoro online, porém a vontade que eu sentia de vê-la me fez mudar meu corpo e madurecer com rapidez. Entrei na academia e fui ficar em forma para um possível encontro. Bem, nosso namoro acabou, por que? Distância. Ela dizia ter um amigo que era como irmão, e que nunca teria nada com o mesmo, alguns meses depois de terminarmos, ela se envolveu com esse cara e ficou grávida, ela veio correndo de volta pra mim e eu meti o pé. Fiquei com um ódio grande, um ódio que fazia meus ossos tremer de raiva. Bom, me curei e segui em frente, porém diferente, agora eu era o que eu queria der desde pequeno. Do primeiro ao terceiro ano eu comecei a pegar as meninas da escola, mas eu sempre queria mais, ficava com amigas, uma contava ora outra, não dava nada e eu me achava, porém nunca fui de falar o que fazia para meus amigos... Hoje, com 20 anos, sinto uma necessidade de perverter qualquer mulher, fazer se render as ideias mais absurdas, até como a própria prostituição. Não sou um cara rico, apenas convenço com as palavras. Sabe, é um vício, eu não consigo sair disso, durante as tentativas de persuadir, eu sinto prazer, minha cabeça vai as alturas com as palavras de rendição de cada mulher que eu converso. Mas logo depois vem a pior parte, depois de desfrutar do ato, me vem uma solidão, uma tristeza... Algo inexplicável. E mesmo sabendo disso, minha mente me obriga a repetir os passos dia após dia. Minha mente tem o desejo de tratar qualquer mulher como objeto da minha diversão, como um brinquedinho para meu libido. É como se eu fosse um escravo dos meus desejos, pesquisei pela internet e não consigo achar nada para mudar minha mente. No começo parecia legal, mas agora vi que é uma tortura após o ato de consumo. O que me causa euforia na mente é saber que qualquer uma tem um preço (preço na persuasão), umas se rendem fácil, outras nem tanto, mas no geral, considero todas bem fáceis, bastando apenas aver falar, olhar, tocar e agir para que a mesma apenas se torne mais um fantoche controlado por minhas mãos. Cara, eu quero sair disso.
submitted by MLion464 to brasilivre [link] [comments]