Eu não tenho amigos e eu gosto

Depressão, o que fazer?

2020.11.25 09:24 PedroSEP Depressão, o que fazer?

Terminei um relacionamento pouco antes da quarentena iniciar, sempre fui muito amigo da minha ex e continuei bem amigo mesmo depois do término do relacionamento, apesar de todos os erros do relacionamento(não trai de fato mas quebrei a confiança dela), e sabia que a amizade dificilmente seria a mesma e que teria que me entender melhor pra descobrir o motivo de ter errado tanto e também para superar o término.
Nossa amizade sempre foi um pilar muito forte para mim, sempre me apoiando e me fazendo companhia quando precisava, mas não tinha este contato com outras pessoas e sabia que isso poderia acabar sendo um problema (tenho alguns colegas apenas, não chegam a ser próximos e não me sinto confiante pra contar pra eles os meus problemas)...
Pois bem, próximo do fim do ano eu acredito que esteja me conhecendo melhor do que antes e que tenha determinação para evoluir mas o pilar que tinha antes já não é mais o mesmo e nem consegui desenvolver outras amizades (meus gostos não são dosais comuns, corridas por exemplo), e as vezes sinto que apesar de ser uma jornada de auto descoberta, a falta de uma companhia é devastadora e isso acaba por me causar mal estar mental e até físico, e por vezes me vejo totalmente dominado por isso sem conseguir reagir.
Como saber que isso ainda é um processo de auto conhecimento e aceitação? Como saber se isso não é um problema não só pessoal? Como descobrir se deve investir em outras amizades? Como fazer amigos verdadeiros? Será q eu que sou o problema e por isso estou sozinho? São só algumas das perguntas que me vem a cabeça toda vez que esse sentimento me atinge... As vezes sinto muita falta de apenas reunir para ver uma série ou um filme e fazer algo junto, sem precisar conversar muito, apenas estar ali juntos fazendo algo para se distrair, tem horas q voltar para esses pequenos momentos era tudo que eu queria.
submitted by PedroSEP to desabafos [link] [comments]


2020.11.25 09:05 Ryuukazi_01 Eu não tenho vontade de viver.

Oi, tudo bem?
Enquanto estou escrevendo isso, estou calmo agora. Mas notei que muitas vezes eu tenho medo de mim mesmo, em ter algumas recaídas de falta de vontade. Sim, falta de vontade. Não sei bem como iniciar o assunto… Então, sendo direto? Eu não tenho vontade de viver. Não sei como explicar bem em motivos, mas é como se nada fizesse sentido. Nada tem significado, nada tem um porquê, nada tem nada. E isso faz com que o esforço seja muito maior que as possíveis recompensas. E o que acontece se o esforço for muito maior do que a recompensa? Exato. Não há vontade. E é isso o que acontece comigo. Como eu não tenho significado em nada (ou seja, recompensa), tudo para mim é um pesar enorme, com a qual eu faço as coisas por fazer. Das mais básicas às mais complexas. Por isso pergunto tantos por quês (nada tem porquê para mim), por isso sou tão indeciso (sem significado, nada faz diferença), e por isso acabo tendo algumas crises de identidade (no final, eu me sinto culpado por ser assim. Porque eu não quero ser assim!).
Pra não perder a linha, vou começar assim; de trás pra frente. É por isso que sai de todas as redes sociais (Whatsapp, Facebook, Twitter, Instagram). Eu já nao postava nada, nadinha. Mas satisfazia as psssoas, e assim ninguém perguntava porque não tinha. Mas era como se os aplicativos fossem a minha caixa de pandora; Onde todos os meus monstros ganhavam vida – social, pessoal, profissional. Quando eu abro algum aplicativo, e vejo as pessoas felizes, realizadas, e etc... Eu me sinto um completo desajustado. Perguntas ficam se debatendo na minha cabeça, como: “Por que sou assim? Por que não posso ser como todo mundo? Qual meu problema? Será que sou amaldiçoado? Deus me odeia? Por que faria isso comigo?” E é então que vem a culpa: “Eu não quero ser assim... Eu me odeio... Odeio minha vida... Odeio minha aparência, minha mente, odeio quem eu sou. Tudo que eu quero e ser ou pessoa”. E bem, esse é o início de toda a crise de existência, e, porque eu sai de todas as redes socias. Elas me fazem mal. E sempre me lembram do que eu NÃO sou; mas deveria ser: Bonito, com vários amigos, vários planos de vida, e o mais importante; Feliz.
Também é por isso que não procuro relacionamentos. Quem, em sã consciência, iria se interessar por alguém assim? Depois de tudo que listei, acho que dispensa explicações. Mas ficar ao lado de alguém sem objetivos, sem ânimo. Um “de fora”, como se não fosse daqui (o que me lembra da minha vontade de ir embora – metaforicamente ou literalmente –, só quero sair por ai, rasgar meus documentos, e recomeçar tudo. Mesmo que signifique morrer (Sim, já pensei em suicídio. Mas nada muito sério. Afinal, se já está uma merda, que diferença vai fazer?). Mas voltando ao assunto. É como as pessoas costumam dizer: “Como que você espera gostar de alguém, se tu não gostar de si mesmo antes?”
Enfim, é isso. Não sei porque sou assim. Só sou. Desde criança, me lembro de nunca ter gostado de aglomerações (aniversários, gincanas, festas, etc...). Se ia um palhaço na escolinha, eu era o único que não achava graça. Se tinha festa junina eu odiava. Meu aniversário, até hoje não gosto. Mas nunca liguei muito também. Sempre considerei ser algo de criança. Crianças normalmente são tímidas as vezes.
Porém acho que o que seria um simples traço de personalidade, se agravou com uma má sorte da vida. Desde os meus 10 anos, ate os meus 14 anos, todo ano alguém morria. Primeiro, a minha avó materna de câncer. No ano seguinte, não morreu, mas minha mãe teve câncer, e passou o ano inteiro em hospitais. Mas no próximo, meu avô paterno, de câncer. No próximo, minha avó paterna, de câncer. No próximo, meu avô materno, pela idade. E no ano seguinte, pra finalizar, meus pais se divorciaram.
Esses 4~5 anos pegaram justamente a minha adolescência, então justamente, eu nao tive uma. Por conta de tantas pessoas sempre doentes, quem cuidava era minha mãe. Sempre indo em hospitais pra tomar conta. E meu pai trabalhava o dia todo pra nos sustentar. A questão é que eu ficava na casa de um amigo. E isso me fez sentir, o que seria ter tido uma família normal.
Eu sempre dormia na casa dele. Portanto, íamos sempre à igreja no domingo de manhã. Fazíamos churrascos. Íamos ao clube. Viajavamos para parentes deles, e etc. Lá tinha TV a cabo, então o pai dele assistia filme com a gente, jogos de futebol, e séries. Ele tinha um video-game, e vários vizinhos. Então jogávamos após a escola, chamávamos todos da rua, para fazer campeonatos. Jogávamos bola na rua, e outras brincadeiras. Eles foi o irmão que eu nunca tive; E a eles foram a família que eu nunca tive.
Várias vezes eu me pegava chamando a mãe dele de mãe, por engano. Ou pai dele de pai. Todas as vezes que eu voltava pra casa, era como "voltar pra realidade". Nós somos relativamente pobres. Não passamos fome, nem nada. Mas também não temos pra gastar. Então nunca tive TV a cabo, vídeo-game, e viagens apenas em datas comemorativas (tipo casamento de parente). Meus vizinhos eram todos idosos. E meu irmão de sangue tem o dobro da minha idade (Logo sempre morou fora e nunca conversava comigo). Minha mãe estava sempre trabalhando, ou cuidando dos enfermos da família. E meu pai trabalhado 12 horas por dia, todos os dias. Logo nunca pôde estar tão presente (Como pra ver filmes, jogar algo, me levar para esportes, ou simplesmente para conversar). E toda família tão ocupada assim... quem dera se se juntassem para churrascos ou igreja.
Com o passar da adolescência, minha auto-imagem também não foi das melhores. Eu tenho muitos pelos. Nada de anormal, apenas coisa de homem. Mas a moda hoje nao é essa nem de perto. E começou cedo em mim. Eu era obrigado a ir de blusa e calça na escola, mesmo apesar do imenso calor, para que nao chamasse a atenção. Eu nunca fui zuado, coisa de bullyin e tals. Mas porque nunca deixei nem sequer que notassem. Isso fazia com que eu nunca participasse de jogos de interclasse, pra nao ir de shorts. E nem que fosse ao clube (que era o prêmio), pra não tirar a camisa. Sempre usei cabelo grande. Mas para esconder a orelha (hoje já fiz cirurgia). E sempre usei aparelho nos dentes. Espinhas? Óbvio. Roupas e tenis? As velhas ganhadas de primos e irmão mais velho.
E essa é a questão: Eu cresci sozinho, em uma família humilde, sem grandes instruções de como se virar na vida. Minha mãe nao terminou o fundamental, e meu pai o colegial com supletivo. Logo, educação financeira, trabalho, universidade, intercâmbio, leituras... São coisas abstratas nas cabeças deles. Como que passariam algo para mim?
Hoje eu vejo o pessoal mais jovem saindo pra festas, tendo namoradas, famílias legais, e sempre estudando; Isso me gera uma mega sensação de uma vida que fora arrancada de mim. Mas que eu poderia tentar ainda... Porém estou sempre com um senso de urgência, que o tempo está passando, e tenho que fazer planos, estudar, juntar dinheiro, investir... Outrora ninguém me ensinará ou fara por mim. Mas ao mesmo tempo... não sei se quero.
Depois de muito reflexão, e juntando as peças para entender o porque das coisas que deram errado na minha vida, consegui tirar lissões muito valiosas. Hoje, já não me importo mais com muitas dessas coisas. Porém, hoje é isso: justamente, já não me importo mais. Não tenho uma religião. Não tenho uma família. Não tenho amigos. Não tenho vontade de nada. Não ligo pra mais nada. Parece que a energia que eu tinha na juventude se foi, e hoje estou cansado apesar de ainda novo [20]. E agora, não sei o que eu faço. O que vai me motivar? O que vai me fazer acordar de manhã e levantar da cama? O que vai me fazer querer viver?
Enfim, é isso. Se lá quem for você que leu isso, espero que esteja bem, e feliz. O Natal está chegando, então de valor aos seus bens, como família, estudos, juventude, e etc. Mas não se mate caso não às tenha, e seja gentil com as pessoas que podem não ter – a vida delas já é dura demais, e um pouco de gentileza pode fazer bem a elas. Bem, eu gostaria de finalizar com alguma citação ou um lição, como um presente valioso a que se tirar de todo esse drama que é a vida; Mas nao tenho. Mas, com muito amor e carinho, lhe desejo toda sorte do mundo!
submitted by Ryuukazi_01 to desabafos [link] [comments]


2020.11.25 05:35 akiravitoria Pensando na quarentena que poderia ter vivido

No começo da quarentena eu era bonita, saudável, extremamente gata e até que feliz. Tava ostentando um celular novo FODA que eu tinha ganhado e tava amando, tava em casa tocando altas músicas no violão e fazendo uns negócio foda, ouvindo e conhecendo um monte de música irada e tinha meu amigo na palma da minha mão ali pra gente ligar um pro outro qualquer hora que a gente quisesse pra se divertir papeando ou jogando alguma coisa, essa quarentena podia ter sido massa, mas sabe pra mim qual foi a resposta pro início de uma pandemia mundial no meu país onde eu ficaria confinada em casa? "Nossa, e se ao invés d'eu fazer essas coisas todas eu começasse a usar o Twitter umas oito horas por dia?", obviamente eu não comecei assim né, eu comecei a usar tipo mais pra fazer coisa engraçadinha e legal e uau nossa que divertido pra caralho, mas aí eu descobri que NOSSA DA PRA SE RELACIONAR E FAZER AMIZADES NO TWITTER QUE FODA NOSSA e então daí foi só ladeira abaixo. Sinceramente eu tenho quase um ano inteiro de história pra contar e não tô nem um pouco afim mas indo direto ao ponto, por causa dessa minha decisão incrível de ao invés de me dedicar a coisas foda mesmo que iam me fazer bem e ter me dedicado a uma rede social mórbida igual aquela eu tô: feia, gorda, doente, com uma relação familiar péssima, com aquele celular foda quebrado e tendo que usar um ruim pra caralho (sim o Twitter teve TOTAL influência nesse ocorrido e não, eu não quero explicar como), e com depressão profunda e agora tendo que OBRIGATORIAMENTE sair do twitter de um jeito muito trágico, triste, amargo e brutal, pois me envolvi em um monte de briga, um monte de coisa terrível e eu não devo mais ficar lá de forma alguma, tanto pelo meu bem, quanto pelo fato de terem pessoas que me odeiam tanto que o simples fato d'eu frequentar o mesmo site que elas já as perturba e por tabela perturba um grupo tangente de pessoas, esse site injeta veneno em mim toda vez que eu entro nele, e não me cabe ficar mais lá de forma alguma, lá durante quase um ano foi minha segunda vida mas CHEGA NÉ PESSOAL? Talvez por um mês e meio tenha sido bem divertido, mas agora não é nada mais além de algo que me causa uma tristeza profunda e que me marcou uma cicatriz que vai ficar aqui comigo até meu último suspiro, e o pior, é que pra aqueles que me conheceram ou eu vou simplesmente ser esquecida pra todo sempre ou vou deixar um legado de dor e miséria onde pra tais pessoas vai ser simplesmente impossível ter qualquer lembrança positiva sobre mim. Essa minha saída do twitter tá sendo igual aqueles finais de filme onde os protagonistas conseguem alcançar seus objetivos e na teoria deu tudo certo, mas o jeito como as coisas deram certo foram tão terríveis e trágicas que apesar de tudo ter acabado "bem", tu termina o filme com um gosto amargo na boca, se sentindo devastado e pensando que realmente eles conseguiram, mas valeu a pena? O que mais me incomoda é isso de como eu vou ser lembrada pelas pessoas que me conheceram lá, e olha não quero dar muito detalhe mas NÃO É BOA, tipo NEM UM POUCO, e essa é a marca que eu deixei na Internet, é por essas coisas terríveis que não representam nem 20% de quem eu sou que vão me lembrar, nem só por coisas que eu fiz e que tão diretamente ligadas à mim mas coisas relacionadas, tipo o dia que eu fui vítima de um pedófilo lá, muita gente vai lembrar disso. Eu tive uma chance, uma única chance de marcar a vida de pessoas que moram do outro lado do país com esse poder ilimitado de comunicação que a Internet me dá, tinha a faca e o queijo na mão, eu poderia ter deixado uma boa marca na vida das pessoas, e definitivamente deixei o completo oposto. O que me alegra e me conforta é que eu sou bem jovem ainda, tenho a vida inteira pela frente e acho que em tipo 3 anos ou menos absolutamente nada disso vai afetar meu cotidiano exceto mentalmente. Agora o que tá sendo meu atual pensamento enquanto eu escrevo isso, caralho, olha a quarentena que eu podia ter tido, puta merda cara eu podia ter aproveitado disso pra começar a me relacionar com minha família, a viver em união, em me conectar com coisas boas, essa pandemia apesar de ser algo horrível me deu a chance de fazer o ano mais pacífico da minha vida, e foi totalmente o contrário, isso aqui foi um inferno, um real inferno, me sinto tão estupida por tudo isso, tão mal, tão idiota, e mesmo saindo agora do twitter pra viver a vida IGUAL UMA PESSOA NORMAL eu sinto que esse sentimento de "caralho eu sou burra" vai demorar pra sair.
submitted by akiravitoria to desabafos [link] [comments]


2020.11.24 19:48 Archer_Sharp Saúde mental e discussão de relacionamento

Olá sub!
A alguns dias eu soltei um post sobre uma discussão que tive com a minha namorada em um conta de “Throwaway”, mas resolvi postar um outro desabafo agora nessa conta para interagir.
Eu namoro faz pouco tempo uma garota que conheci. Nós trocamos ideias por vários meses e rolou os nossos encontros. Eu pedi ela em namoro e ela aceitou.
Eu acho ela muito bacana, mas recentemente o nosso namoro ficou tóxico e não só isso, eu sinto medo do que está acontecendo que inclusive daqui a pouco irei falar com a minha psicóloga sobre o que está acontecendo.
Ela é uma garota linda, engraçada, trabalhadora e extremamente esforçada, mas acontece que infelizmente ela ultimamente tem sido aquela pessoa que manda na relação e eu não posso mentir que foi por culpa minha. Ela discute e bota um “ponto final” e ela não deixa argumentar a minha opinião sobre as coisas. Ahh... E a discussão é sempre via texto, porque eu acho que ela não tem coragem ou seja lá o que for por cara a cara.
Primeiramente, eu vou falar o que eu fiz de errado, pois eu também não sou santo e irei falar um pouco do passado dela sem detalhar coisas, pois valorizo a privacidade de nós 2.
Antes de rolar os últimos encontros, nós fizemos muito sexos virtuais e ela queria, pois ela falava besteiras para mim e eu retornava para ela. Ela demonstrava que gostava dessas coisas e resolvemos cada um se tocar. Até aí tudo bem, mas acontece que depois que simulamos e chegamos no ponto ela solta depois o seguinte “Você me sujeitou a fazer isso e me decepcionei, espero que você pense nisso!”. Eu me congelei no momento, pois eu não sujeitei ela a fazer isso e até perguntei umas TRÊS VEZES... Eu jamais sujeitaria alguém, pois é uma coisa séria... Deixa-me explicar melhor o que aconteceu antes...
Era uma madrugada de fim de semana... Ela tinha tirado um cochilo na casa dela e acordou no horário para a gente fazer as nossas coisas a distância, já que não tive como visitar ela e então nós ficamos via videochamada conversando sobre os amigos de cada um e esses papos normais até que ela contou o que sonhou. Ela sonhou a gente tendo a nossa transa e ela começou a falar as besteiras que rolou e que ela estava com vontade de fazer e então eu literalmente cheguei a perguntar para ela umas 3 vezes sobre se ela queria fazer virtualmente e ela aceitou as 3 vezes e então ok. Sim, eu perguntei para ela obviamente, pois como é uma coisa meio “tabu” e que precisa de acordo entre nós dois, eu tive que fazer isso. Só que do nada depois ela soltar que eu sujeitei... Não entendi, eu simplesmente me congelei e liguei para ela depois pedindo desculpas desesperado e que eu não deveria ter aprofundado no assunto, aí ela aceitou de boa na hora como se nada tivesse acontecido. Ué...
Agora sobre ela... Ela me revelou que teve depressão e que tomava remédio por causa disso. A causa disso foram os relacionamentos abusivos que ela teve no passado. Eu me lembro até dela chegando perto de mim querendo contar algo importante e ela me soltou essa e fiquei surpreso e muito triste na hora. Ela chorou e eu chorei com ela. Eu prometi a ela que eu nunca irei repetir o que aconteceu e não farei nada de errado a ela, pois caramba... Ela é uma pessoa super simpática e gente fina... Até rolar o que aconteceu, o qual irei falar em alguns parágrafos depois...
Agora vamos ao pico do problema, pois o dia em que teve esse “puxão de orelha” foi apenas a faísca do que irei falar agora. Nós tivemos as nossas outras atividades até que ela foi contratada em uma empresa em que eu fiquei muito feliz e ela também, nós chegamos até comemorar juntos! Mas acontece que... O ambiente era muito tóxico e ela ficou muito doente por causa disso. Aí, eu fiquei preocupado e eu não conseguia falar com ela a partir daí então (ela mora muito longe), logo eu só enviava fotinhos fofas para ela e memes para tentar agradá-la, até aí ok. Ela ficava feliz, mas ela por algum motivo depois cansou de fazer as nossas videochamadas e ter as nossas atividades. Aí, eu achei que tinha haver com o fato dela ter ficado enferma, mas não foi isso... Ela voltou a ficar triste e meu medo é que a depressão tenha voltado de pouco em pouco.
Ela começou a mandar apenas um bom dia e boa noite e sem nada. Nada de fofoca, convite para sair ou seja lá o que for. Ligar não era uma opção, pois ela já não tinha mais tempo para nada (trabalho e curso), logo só fim de semana ficava livre, mas ela começou a querer ficar sozinha e sem fazer nada. Eu respeitei ela e não obrigo ela (até que não tenho direito à vida dela né), mas como bobo eu fui, eu nem reparei que ela estava meio triste. Portanto, eu resolvi fazer uma visita nela.
Eu visitei ela e ela nem se tocou, logo apenas agiu como se não tivesse surpresa e nem nada. Portanto, eu achei que era cansaço do dia a dia. Ela só queria de saber dormir e então novamente eu a respeitei e deixei dormir. Ela dormiu bastante nesse tal fim de semana e de vez em quando ficamos juntos assistindo TV. Eu simplesmente achei que ela estava normal, mas acontece que como faz tempo eu não a via faz tempo e nem fazia ligação, eu queria ficar com ela toda hora, mas acabei exagerando... Porque eu invadia o espaço dela querendo abraçar ela e ela dizia que agora não, logo novamente eu a respeitei e disse que eu precisava dormir e fui então... Alguns minutos depois eu recebo no outro cômodo umas 15 mensagens de quanto idiota e invasivo eu fui com a privacidade dela e me desculpei, pois não vou mentir que eu começava a abraçar ela sem que ela esteja com vontade... Sim, abraços e nada mais... Ela achava que eu ia levar para o lado sexual da coisa, mas eu não queria e não estava nem afim, pois precisávamos também de proteção né... Eu tentei explicar que não, pois eu estava sentindo falta dela e eu respeitei o tempo em que ela estava doente, eu jamais iria querer fazer do nada essas coisas, até que tem que haver acordo de ambos lados... Eu fui embora e chorei... Eu arrependo do meu lado, mas ao mesmo tempo eu fico assustado com a mudança comportamental dela! Logo, eu tento falar com ela de forma educada a alguns dias e nada de resposta para ver o que aconteceu... Eu nunca gritei e briguei com ela... É sério... Eu nunca reclamei de nada... Eu sempre resolvi na base de diálogo quando ela me puxava e ela não querer resolver o nosso problema me soa irresponsável da parte dela.
Por fim, eu me preocupo que ela ache que eu sou uma pessoa tóxica assim sem motivo aparente e que alguma coisa tenha provocado nela após o cenário da demissão, como a depressão ou algo do tipo.
Eu só queria resolver esse problema. Se ela não quiser por algum motivo não ter relacionamento mais comigo é ok. Se ela quiser dar um tempo é ok também. Eu só quero entender o que está acontecendo e quero que ela volte a rir, pois ela sempre fez isso... Sei lá, eu estou muito triste com isso... Fizemos tantas coisas juntos... Saímos bastante, zoamos bastante, jogamos bastante, conhecemos a família de um e de outro, viajamos... O que será que aconteceu que ela não quer me perdoar? Eu sei que erro e não sou perfeito, mas eu gosto de corrigir as coisas como gente...
Bem... Esse é o meu desabafo... Muito obrigado por quem leu até aqui... A minha crise de ansiedade até parou, pois antes de escrever eu estava muito reflexivo...
submitted by Archer_Sharp to desabafos [link] [comments]


2020.11.24 19:32 Sadsolitaria Só um desabafo, me ajudem.

Então galera primeira vez que escrevo aqui.
Tenho 17 anos e por incrível que pareça sou bv, nunca dei tanta atenção para os meninos porque penso muito mais na minha vida profissional, acho que se acontecesse de rolar um sentimento maior e ter um relacionamento isso me tiraria do foco. Mas as vezes me pego pensando... vou conhecer um amigo ambos temos sentimentos um pelo outro, porém ele não faz meu tipo... ai eu fico tipo... pqp como eu tenho sentimentos por alguém que não faz meu tipo??? eu gosto da pessoa que ele é, enfim, eu tenho medo de rolar e eu travar, congelar ou simplesmente da um murrão nele e mandar parar kkkk, eu não sei se falo pra ele que sou bv, e sim, tbm sou um pouco tímida isso me impede de fazer as coisas, cara eu tou mto ansiosa e tou surtando com isso, pelo amor de Deus eu tou implorando conselhos KKKKKKKKKKKKKK
submitted by Sadsolitaria to desabafos [link] [comments]


2020.11.24 18:29 programeralone Estou mandando meu amigo pra cadeia ?

Eu fumo m4c0nh4, né. Tem um amigo meu que começou a vender há pouco tempo atrás, mas é amigo mesmo desde do ensino fundamental que a gente se conhece. Ele começou a vender e andar com umas companhias meio errada. Daí comecei a comprar com ele pq não gosto de ir em biqueira e tbm porque tenho mais intimidade. Mas às vezes paro e penso: será que to mandando meu amigo pra cadeia ? Pq meio que to financiando ele, dando dinheiro p ele e incentivando a ele fazer isso e se um dia ele for preso, eu vou ter uma parcela da culpa. Eu até brinquei com ele esses dias "Toma cuidado mano, tu é meu parça, não quero amigo meu preso". O que vcs acham sobre isso ?
submitted by programeralone to desabafos [link] [comments]


2020.11.24 15:44 biafreita O pénultimo dia de aula (Antes da quarentena)

Bem Quanto tava no ônibus da escola achei que ia ser normal...foi o contrário de tudo cheguei lá umas 23 crianças me atropelaram quanto descendo do ônibus entrei lá foi logo para a cafeteira para pegar lá o café da manhã que tinha... O SINAL FDP TOCOU Beleza foi para a sala sentei na cadeira e esperei "Professora" chegou eu olhei e já percebi que a prof tá doente e essa e uma........ estagiária digamos;-; Até aí tudo bem soque... -CALA BOCA PORRA-mano a "prof" disse isso,coloquei funk só por causa disso E eu literalmente pensei ( A cada palavrão vai ser PIOR) A "prof" FALOU EU SE FUDER E QUE NAO LIGA PARA NÓS de cara o um moleque pegou a cadeira dele falou para agente olhar a janela ela saiu com a cadeira foi lá pro terraço;-;escalou aquelas Crates sabe?e tacou a cadeira outra criança pegou a messa E fez a mesma ✨merda✨ Meu amigo olhou para mim e disse: hell it's done:D Tradução e de uma música que eu gosto lá ele disse mais ou menos O INFERNO TA FEITO:D Falei a mesma merda soque concordei ;-; Hell really is ready-disse outra amiga minha eu falei Hell is ready beleza na minha volta os moleque pegou uma caixa de 🌺✨fósforos ✨🌺 oque pode dar de errado? Pegou acendou fogo e outra criança gritou- EU VOU PROCURAR A ✨GASOLINAAAAAAAA✨ OQUE PODE DAR DE ERRADO;------;? Eu-infermo realmente vai dá pronto daqui a pouco Minha amiga: concerteza Meu amigo:SEM DUVIDAS GALERAAA INFERNO VAI DA PRONTO DAQUI A POUCO QUEM E O DJABO? Moleque que tava na sala:A ESTAGIÁRIAAAAA ✨Como vcs viram a minha escola e normal✨ Agente botou fogo na escola soque agente não apareceu na tv;-; nem nos jornais;-----;Mais ainda sim eu tenho orgulho;-;
submitted by biafreita to desabafos [link] [comments]


2020.11.23 15:53 adrianxpgay17 Mano sério eu não Aguento mais ver Gados (desabafo sobre os gados)

Oi para você que não me conhece eu sou um homem que tem Testículos, agora eu eu me apresentei vamos falar sobre Gados.
Quando eu era pequeno eu sempre me perguntava oque era "Gados" era Raro ver gados antigamente mais com a chegada das Redes sociais eu me deparei com algo que me marcou de verdade vi vários gados saindo mais tinha algo de diferente quem tocava o berrante era uma... MULHER.
Parando de historinha, cara que desgraça é essa eu tô dboa no discord Twitter e eu mau começo a ler oque as pessoas falam e já tem um
GALERA GALERA É SÉRIO EU E A ANA ESTAMOS NAMORANDO FINALMENTE EU CONSEGUI
Ou eu abro a porra do discord e tem em qualquer grupo mesmo
WEBNAMORO 9 CALL TUDO CHEIA E CHAT TAMBÉM
até aí tudo bem, até você começar a se deparar que seus amigos são gados e também todos ao seu redor também... Meu amigo quando eu descobri isso eu olhei para o meu pau e disse
mano eu não aguento mais, se for para fazer essa espécie chamada ser humano evoluir eu prefiro morrer, e também mais uma das minhas motivações é que o único animal que criou Tik tok e Boku no pico.
Cara sério toda porra de hora eu entro no discord pra conversar porque eu gosto de conversar com as pessoas meu amigo diz: Então mano sabe eu tenho que sair rapidão, e no outro dia o cara te manda no mesmo horário que você falou com o desgraçado a printe de ele gadando uma mina.
Pela primeira vez na vida eu me senti traído pois meus amigos aqueles filhos da puta só sabia falar de mulher puta que pariu, os cara nem com 17 anos não sabiam segurar a porra da Fimose deles,
Eu sei que eu tô falando do discord mais até no twitter os cara que eu jogo quando eu chamo eles pra dar uma jogada na dm do twitter os cara fala. Depois mano tô falando com uma mina. Mano eu não aguento mais.
Agora você sabe da minha vida com meus "amigos" Já que já sabe disso vamos falar sobre a minha vida em um chat geral Otaku
PUTA QUE PARIU MEU PARCEIRO, os chat geral quando não tem gado é uma felicidade mais quando tem um cara que é gado e você zoa uma mina, Maluco começa um Ace Attorney na porra do chat geral o cara começa a querer te matar, tem hora que o cara tenta arrumar um motivo pra te banir mesmo e tu tem que argumentar com o adm que e apresentar provas que você não é um Estrupador
Enfim se você leu até aqui parabéns Ismael marcos você não tem nada oque fazer. Isso foi só um desabafo e não se misture com gados você pode ser manipulado.
submitted by adrianxpgay17 to HUEstation [link] [comments]


2020.11.23 15:20 _Biino_ Jogar não me torna uma vagabunda sem futuro

Eu estou tendo um problema que é bem mesquinho até, mas é chato para caramba... Então vamos lá.

Desde os meus 11 - 12 anos eu tenho depressão e ansiedade, tive que tomar remédio pipipipopopo. A clássica história da adolescente depressiva que sofre bullying na escola por gostar de anime.

Enfim, sempre foi muito difícil eu fazer amigos, por que minha mãe me ensinou a ser uma pessoa legal independente do caso, mas a pessoas tiravam proveito disso mandando eu fazer as coisas ou zombando da minha cara por gostar de certo tipo de coisa. (No 7 ano, geral da sala se sentou no fundo para falar que eu era uma vadia... Por que a "fodona da sala" não gostava de mim) Com isso me tornei uma pessoa reclusa que tem mais amigos online do que na escola ou afins.

Esse ano, com tudo isso rolando eu começei a jogar LoL, pois é legal e é um lugar onde desconto minha raiva. Peguei gosto pelo jogo... Fiz amigos nele e jogo praticamente todo dia de noite, porque eu faço lição de tarde. E ai que entra a história...

Minha mãe odeia que eu jogue, pelo fato de eu ser uma garota e por que ela acha inútil e foda-se minha opinião. Eu literalmente passo o dia estudando e ninguém fala nada, eu jogo 10 minuto e sou a pior pessoa da terra. Já me cansei de ter que mutar meu mic por que minha mãe entra no meu quarto me xingando de vagabunda.

Cara, eu to procurando um emprego, trabalho de freelancer, faço minhas obrigações de casa. Por que diabos eu não posso relaxar? Meu primo faz a mesma coisa, só que fica infurnado no quarto e faz porra nenhuma e ninguém vai reclamar. Eu trabalhei 12 horas com o freela para eu conseguir comprar um heaset, e minha mãe reclamou tanto... Que eu só mandei entregar no endereço da minha vó para ela não ver.

Ela reclama direto desses adolescentes que vão para baile funk, se drogam pipipipopopo. Por que ter uma filha que joga é pior? Cara, eu me sinto muito bem jogando, meu amigos são pessoas extremamente legais e gostam da mesma coisa de eu! Isso que eu procurei minha infância inteira... Por que cargas d'água eu só não posso continuar?

Enfim, é isso. Perdão pelo textão.
Edit: Ela resolveu que vai desligar a internet de noite... Ela acabou de fazer isso e eu tava no meio de uma partida... Ah velho, cansei na moral.
submitted by _Biino_ to desabafos [link] [comments]


2020.11.23 12:52 LIS1050010 João Palhinha - entrevista ao jornal Record

João Palhinha tem sido um dos elementos em destaque no excelente arranque de temporada do Sporting CP. Em entrevista ao jornal Record, o médio formado em Alvalade falou sobre o bom momento dos leões, abordou a possível saída do Clube no último mercado de transferências e confessou o sonho de ser campeão pelo Sporting CP.
Bom arranque de temporada e mudanças no meio-campo
O míster adapta o jogo às características de cada um, apesar de ter na cabeça a ideia de jogo que quer. Sabe que me tem a mim e ao João Mário, ele mais ofensivo e eu mais defensivo. Posso falar também do Matheus [Nunes] e do ‘Dani’ Bragança. Neste meio-campo todos temos características diferentes uns dos outros. Pede-me que roube o maior número possível de bolas e que esteja preocupado com os equilíbrios, para evitarmos surpresas. Na parte defensiva tenho um papel mais influente do que o meu outro colega do meio, mas isso não significa que sirva exclusivamente para defender. Um jogador quanto mais completo for, melhor, e mais dinheiro ganhará. Estou cada vez mais completo, sim. Tenho muito a evoluir, faz parte do processo de aprendizagem. Todas as semanas o míster pede-nos coisas novas e tenta aperfeiçoar o modelo de jogo que implementou. Aos poucos vão olhando de maneira diferente, com mais respeito, e os resultados têm influência. O respeito ganha-se dentro de campo, independentemente da idade de cada um. Sinto termos todas as condições para surpreender. Obviamente, temos de ir com muita calma e passo a passo. Sabemos que estamos invictos no campeonato, mas algum dia vamos deixar de o ser. Isso é inevitável. E quando isso acontecer as pessoas têm de estar preparados e não meter as coisas num 8 ou 80, mas sim arranjar um meio-termo, com a consciência de que as coisas, correndo como estão a correr, vão a bom porto. Focamo-nos muito em nós, no nosso trabalho. Está tudo no início, não há campeões neste momento. É normal todo o ruído que se tem feito porque estamos a fazer bem o nosso trabalho. Quando se ganham jogos como temos ganho, com esforço e sacrifício, é normal que as pessoas na televisão comentem e que os jornalistas façam capas a valorizar o nosso trabalho. É bom, mas quando houver um jogo em que percamos temos de estar preparados para isso. “Presidente tem vivido momentos complicados” O Presidente tem vivido momentos complicados, difíceis, no clube. É preciso ter um grande estofo para aguentar tudo isto que tem acontecido, porque o Sporting passou por momentos muitos difíceis, talvez os mais difíceis da história do clube. Quando falei de o público ir ao estádio, acho que temos de remar todos para o mesmo lado, independentemente de gostarmos do Joaquim ou do Manel. Temos todos de estar juntos para as coisas correrem bem. O clube que estiver dividido é difícil as coisas saírem bem e é inevitável que a equipa sinta isso. 
Ausência de público nas bancadas
Qualquer jogador, profissional ou não, gosta de jogar com público, qualquer que seja a situação, gostando-se daquele ou do outro. Estando sempre a apoiar o clube do nosso coração temos de respeitar tudo e todos. Por isso, quando o público voltar aos estádios sei que isso não será impeditivo para deixarmos de fazer bem o nosso trabalho. Falo por mim, que gosto muito mais de jogar com um estádio cheio do que um vazio, que mais parece que estamos a fazer um treino em estilo de jogo. Espero que não falte muito para que o público volte aos estádios. 
Luta pela titularidade no meio-campo
São dois jogadores que me surpreenderam. O Matheus e o ‘Dani’ evoluíram muito. Todos os que partilham o meio-campo podem perfeitamente jogar. Se formos bem a ver, temos jogado os quatro, é bom para todos. 
Momento de forma de Pedro Gonçalves
O Pote está muito bem, não é preciso mexer [risos]. Felizmente as coisas estão-lhe a correr bem. É um jogador que no Famalicão jogava mais no meio-campo e que teve de mudar um bocadinho o chip para o sistema do Rúben, mas adaptou-se muito bem. Esperemos que continue assim. 
Chegada de João Mário
O ‘Jomi’ tem muita qualidade, toda a gente lhe reconhece isso. Em 2016, quando saiu do Sporting CP foi por valores astronómicos [40 milhões de euros, mais 5 milhões por objetivos, para o Inter]. Só isso demonstra bem o valor dele, que é inquestionável. Sinto-me um privilegiado por poder partilhar o meio-campo com ele. 
Aposta na formação
Ainda há pouco tempo comentei isso com o míster Emanuel Ferro. Fiquei surpreendido com a juventude, não o esperava. Por privar e treinar com eles, tenho uma noção diferente das coisas do que se tivesse de fora. Todos os miúdos que estão no plantel têm qualidade para lá estar, e vão aparecer mais. 
Atuação dos leões no mercado de transferências
Temos muito bom balneário, com união. A estrutura arranjou um misto de experiência e juventude. Acho que as pessoas olhavam para a nossa equipa como miúdos e tudo, mas acabamos por ser um misto das duas coisas. 
Sonho de ser campeão pelo Sporting CP
Tenho esse sonho, mas não é algo com que viva completamente obcecado. Fazendo-se as coisas com calma, trabalho e responsabilidade tem tudo para chegar a bom porto. Temos de estar sempre com a cabeça fria. Se já estivermos a pensar em maio, as coisas não vão correr bem. Queremos fazer o nosso caminho passo a passo. 
Começo de época a treinar sozinho
Deu-se muito eco a esse momento. O míster Rúben Amorim sempre me disse que contava comigo. Estava a treinar à parte dadas as coisas que estavam prestes a acontecer, e que depois acabaram por não acontecer. Quero aproveitar este momento para dizer que o míster Rúben Amorim ou a estrutura nunca me colocaram a treinar à parte com más condições, nada disso. A única justificação que se pode dar é essa. O míster sempre me disse que, caso não fosse vendido, era mais um jogador para ajudar a equipa. “Sempre me transpareceram a imagem de que contavam comigo” Sempre me transpareceram a imagem de que contavam comigo, ainda antes da pré-época começar. Por já ter trabalhado com o Rúben em Braga tinha essa confiança com ele para falarmos. Ele é um treinador que tem sempre à vontade para conversar com o jogador. Foi um fator que me agradou e tenho todo o gosto em dizer que é um grande treinador. Aliás, sinto-me lisonjeado por ter a confiança que tenho com ele. 
Elogios de Rúben Amorim
É sempre bom sermos elogiados, dá-me mais motivação. Eu e o Rúben temos essa confiança. Nesse caso elogiou-me, mas se tiver de me criticar, critica. É um meio-termo que arranjámos e que é muito favorável no processo de crescimento de qualquer jogador. 
Sistema de jogo dos leões
Falando um pouco do sistema de jogo, é uma tática inovadora para o campeonato português. Se não me engano, antes não havia nenhuma equipa que jogasse assim. E hoje já vemos certas equipas do campeonato a adaptaram-se nesta tática. Não estava à espera de que me adaptasse tão bem e fez-me evoluir. Por vezes estamos habituados a certo tipo de características e rotinas e isso obriga-nos a mudar o ‘chip’. Apesar de ser um jogador de equilíbrios, tenho a liberdade para chegar mais perto das zonas de finalização. “Ouço muita gente a falar da experiência e dos cursos dos treinadores” Ouço muita gente a falar da experiência e dos cursos dos treinadores… Falo do Rúben, como podia falar do míster Abel [Ferreira] ou de outros treinadores que apanhei, porque as pessoas falaram muito da questão do curso dele e de não ter experiência. E teve a carreira de futebolista que teve, o que equivale a não sei quantos anos de curso tendo em conta as vivências que teve ao longo da carreira. Não quero menosprezar os ensinamentos que se aprendem nos cursos, porque têm sempre a sua importância, mas acho que a real experiência aprende-se dentro de campo. Ele fala connosco de situações de jogo e é essa aprendizagem que nos faz evoluir, se no futuro quisermos ser treinadores. 
Futuro após término da carreira
Gostaria de seguir a carreira de treinador quando acabasse a de futebolista. Espero ainda estar longe disso, mas são coisas em que pensamos, dado que isto não é para sempre. Temos de ir idealizando um plano B. “Não é para qualquer um ser capitão do Sporting CP” Se o for, é com grande orgulho e extrema motivação, dados os anos da formação que conto. Tenho contrato com o Sporting há muitos anos. Não é para qualquer um ser capitão do Sporting, é uma grande responsabilidade. Se acontecesse era mais um momento de felicidade que teria na minha carreira. Varia de jogador para jogador. Temos tido sempre bons capitães. “Estive 15 dias trancado na Academia” Estive 15 dias trancado na Academia e com todo o tipo de condições, não nos faltou nada. Levavam-nos comida ao quarto e treinava, ainda que me tivesse ressentido do vírus. Quando achamos que somos fortes, é a prova de que ninguém é imune e todos os cuidados são poucos. Todos têm de respeitar as regras. O clube soube gerir essa situação muito bem, devido ao planeamento da equipa técnica e da estrutura. Lembro-me de que estávamos na Academia oito ou nove jogadores e outros elementos. Estava um grupo montado. Seguindo as indicações das entidades de saúde, então certamente as coisas vão correr bem. 
Possível saída na última janela do mercado de transferências
Naquela altura houve coisas que se falaram e que estiveram prestes a acontecer, mas depois acabaram por não acontecer. E se não aconteceu, é porque não tinha de acontecer. Na minha vida sempre pensei assim: se as coisas naquele momento não aconteceram, então é porque há algo melhor para conquistar. Numa entrevista que dei à Sporting TV tive a oportunidade de dizer que se tivesse saído do Sporting em 2018, dado que pouco joguei… Da mesma forma que se tivesse saído quando acabei a 2ª época no Sp. Braga, iria sempre ficar aquele vazio dentro de mim, por o Sporting ter sido um dos meus clubes de formação e ser o clube do meu coração. Ir para o estrangeiro e não ter conquistado o meu espaço ou ter demonstrado o meu valor num dos clubes que me formou seria um pouco… Iria ficar um vazio dentro de mim. “Campeonato inglês era aquele que mais me agradaria” Dadas as minhas características e pelo reconhecimento que dou a todos as ligas europeias, o campeonato inglês era aquele que mais me agradaria e onde mais me vejo a jogar. Obviamente que tenho esse sonho e objetivo, porque todos reconhecemos o valor da liga inglesa, como de outras, mas não vivo obcecado com isso. Quero é fazer um bom trabalho no Sporting, evoluir como jogador, fazer o máximo de jogos possível pelo clube. Quanto ao resto, é deixar as coisas acontecerem. “Neste momento, não é fácil ir à Seleção” As coisas vão acontecendo naturalmente. Espero estar perto! Reconheço que estão grandes jogadores na minha posição, neste momento não é fácil ir à Seleção Nacional. E não só pelo meio-campo, mas também pela defesa, ataque, guarda-redes… Temos muita qualidade. Alimento esse sonho todos os dias e trabalho para isso, é um dos principais objetivos e sonhos da minha carreira. Já tive a oportunidade de representar Portugal nas camadas jovens. Um dos maiores motivos de orgulho que um jogador pode ter é representar o seu país. Espero por isso que um dia possa chegar à Seleção Nacional e que não falte muito. Acho que encaixava bem, poderia dar coisas diferentes à Seleção. O Rúben, William e Danilo têm características diferentes. Não vivo obcecado com isso. Imagino-me muito a ouvir o hino com o estádio cheio de portugueses. É uma das imagens mais bonitas que me podem vir à cabeça. 
Regresso a Sacavém
As sensações são as melhores. Será um dos jogos mais especiais da minha carreira. Voltar a esta casa, que me acolheu quando tinha 14 anos, tem um grande significado. Estarei sempre agradecido por tudo que aqui vivi. Fiz amizades que ainda levo comigo. Não tinha visto o sorteio, estava a dar uma volta com um amigo. Recebi uma mensagem do meu pai, com a imagem do sorteio. Até lhe perguntei: ‘Estás a gozar ou a falar a sério?’. Pensei que era montagem (risos). Depois ele disse-me que era a sério. O Sporting tem uma dimensão totalmente diferente do Sacavenense, mas respeito terá de haver sempre. Queremos evitar surpresas. No campo são 11 contra 11 e as camisolas não podem pesar. Temos de encarar este jogo como se fosse da Liga dos Campeões. 
Chegada ao Sporting CP
Nem toda a gente sabe, mas vim aqui com o meu pai a um treino de captações, nos iniciados de 1º ano, e não me aceitaram. Saí daqui a chorar, a dizer que queria desistir. As rejeições nessa altura eram algumas e via o sonho adiar-se. Achava que não havia volta a dar. O meu pai e a minha mãe tiveram um papel muito importante nessas fases, porque me puxaram para cima. No ano a seguir voltei, fiquei e fiz o meu trajeto em crescendo. É uma história bonita que aqui deixei. Foi em 2012, em juniores, na primeira metade da época. Jogámos aqui contra o Sporting CP, cujo treinador era o míster Abel Ferreira, e perdemos por 2-1. Fiz um grande jogo e, no final, o míster Abel veio direto a mim e perguntou-me: ‘Queres vir para o Sporting em janeiro?’. Fiquei, tipo… Lembro-me que o meu coração começou a palpitar muito rápido. Já no passado tinham existido abordagens que não se concretizaram, julguei que fosse mais uma. Mas respondi: ‘Quero, míster’. Depois as coisas aconteceram naturalmente e em janeiro assinei contrato profissional com o Sporting. Para isso ter sido possível tenho de salientar o papel de duas pessoas: o míster Abel Ferreira e o sr. Aurélio Pereira. 
submitted by LIS1050010 to SportingCP [link] [comments]


2020.11.23 02:14 lost_highway333 É inevitável se distanciar dos amigos que a gente conhece na infância/adolescência?

Parece que quanto mais a gente envelhece, mais vamos nos distanciando e diferenciando dos nossos amigos antigos.
Conforme eu envelhecia (23 anos agora), acabei tendo atritos com alguns amigos, perdendo interesses em comum com outros...até que me restou somente um amigo(considerando que eu simplesmente não tenho mais habilidade de desenvolver novas amizades). Eu gosto bastante dele, mas tenho sentido que nossa sintonia está acabando, ao ponto de parecer que nós iremos, inevitavelmente, se distanciar.
Chega a ser até um pouco estressante, pq parece que ele simplesmente não saiu da adolescência. Eu vejo ele falando 95% do tempo em beber, nos caras com que ele quer marcar encontro, na baladinha que ele foi com a fulana de tal. O problema não é falar sobre isso, são coisas da vida, a questão é que fica subentendido uma certa superioridade, um sentimento de que ele é cool por viver assim.
Além disso, eu vejo um anseio de ser uma pessoa extremamente atraente, tão atraente que se torna irresistível. É como se o valor dele se pautasse puramente no âmbito sexual, gerando uma certa frustração nele, por não alcançar esse padrão inexistente (ele tem problemas de autoestima).
As "amizades" que ele vem arranjando são pessoas que só puxam ele pra baixo (famoso amigo/a de bar e baladinha) e reforçam esse ideal de que o valor de alguém está na capacidade de sedução e que beber (e usar outras drogas) é algo maneiro. Então ele só vai emergindo cada vez mais nesse pensamento. Parece que a vida dele gira em torno disso: seduzir homem e beber.
Eu gosto bastante dele, não queria perder essa relação que nós temos, mas tem ficado cada vez mais cansativo. Parece que ele não vai sair desse estado adolescente nunca.
submitted by lost_highway333 to desabafos [link] [comments]


2020.11.23 01:45 Gold_Horse2438 Sou uma pessoa extremamente indecisa e desinteressada em tudo.

Eu ainda sou nova (tenho 14 anos) e isso sempre foi uma parte da minha personalidade, o motivo de eu me desesperar só agora com isso é que o tempo tá passando muito rápido e logo eu vou ter que escolher que rumo seguir, mas eu tenho um extremo medo de me arrepender ou acabar não ficando satisfeita com a minha vida (frustração).
Já falei com meus pais algumas vezes sobre isso, mas nunca mais vou falar kk. Eu disse pra eles que eu não acredito ser o tipo de pessoa que vai conseguir ficar o resto da vida casada com alguém, viver no mesmo lugar, trabalhar com a mesma coisa até morrer e muito menos ter filhos, e eu vejo esses traços no meu dia a dia, e como vocês devem imaginar não receberam bem a notícia, já que eles acham que eu tenho potencial e se preocupam muito com meu futuro. Mas não gosto de pessoas invadindo muito meu espaço pessoal nem de me prender a algo ou alguém, e há uns 3 dias atrás eu simplesmente surtei e disse pros meus amigos mais próximos pra não mandarem mensagem pra mim nunca mais, simplesmente porque cansei de viver da forma que eu estava vivendo e senti que precisava fazer uma mudança radical. Por isso mesmo a cada dia o EAD tá virando uma técnica de tortura pior que as medievais, ter a mesma rotina todo dia, fazer tarefa todo dia, ouvir as mesmas vozes todo dia, no mesmo quarto, no mesmo horário, TODO DIA.
Além disso, eu percebi que eu nunca tive determinação o suficiente pra estudar ou fazer algo até o final, não é nem preguiça, eu simplesmente perco o interesse e vou fazer outra coisa que dá vontade, até eu desistir dessa também e partir pra outra, eu não tenho paixão. A coisa que me faz ter vontade de acordar todo dia é a esperança de que talvez eu tenha uma brisa filosófica que eu nunca tive, ou que talvez algo muito épico aconteça, ou eu descubra um interesse muito aleatório que vai mudar o resto da minha vida. Enfim, pequenas coisas que eu faço desde sempre e me fazem perceber como eu sou inconstante.
Algumas decisões são tão importantes que eu tenho medo de me arrepender e mais medo ainda de deixar alguém escolher por mim, eu só não queria que houvesse tanta pressão hoje em dia pra se formar, ser civilizado, estudar, ter amigos e personalidade e opinião formada. Eu sei que to antecipando demais, mas como eu disse, o tempo passa rápido demais kk, faz 3 anos que eu me mudei de estado e eu juro que passou VOANDO, e ainda sinto que nenhuma mudança significativa aconteceu até agora, se quando eu tivesse uns 10 anos eu me apaixonasse por sei lá matemática, e tivesse estudado e me dedicado a isso desde então, talvez eu não estivesse tão ansiosa agr.
Cansa demais não ter objetivos e ter algo pra correr atrás, enquanto quase todo mundo da minha idade parece ter opinião formada sobre tudo, religião, plano de vida, carreira, visão do parceiro ideal etc. Eu não faço ideia de qual o jeito mais saudável de viver.
submitted by Gold_Horse2438 to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 15:51 Necessary_League8489 Gatilho maior que revólver

Eu não acho que passei tanto desespero e ansiedade como esses dias.
Eu tenho um problema bem grande com meu corpo e do jeito como me apresento, eu sempre fui gordinho e depois de um tempo consegui emagrecer um pouco, mas as tendências de comer demais antes pra lidar com os sentimentos de antes continuaram, e eu engordei um pouco.
Aí que entra o acontecimento, eu tenho um gatilho quando eu como coisas gordurosas e eu entro numa espiral de comer demais e me sentir mal depois, então eu quis começar um estilo de comer saudável, mas eu tenho esse problema de nunca acreditar no que eu olho no espelho, os meus pais sempre falam que é diferente (sendo eles mesmo um pouco mais gordinhos), então sempre que eu quero emagrecer, eles dizem que eu já tô magro, já tô um palito, mesmo vendo no espelho o contrário.
E com isso veio várias crises e lembranças de quando eu não queria nem olhar no espelho de antigamente e eu só queria fugir disso e viver uma vida saudável, mas meus pais insistiam de eu comer coisas gordurosas com eles e eles falando que era só uma vez, mesmo eu falando pra eles o que essas comidas engatilhavam, e depois quando eles viram que eu ficava meio surtado, minha mãe ficava me tocando e falando que eu já tô muito magro (eu tenho um problema com toque e não gosto que pessoas me toquem, mas eu não podia falar isso pra minha mãe, então eu fiquei o filme inteiro que a família estava vendo tentando não surtar e segurando minha ansiedade, tudo por 2 horas excruciantes), e eu entrei de novo nessa espiral de ataque de pânico e depois tentar de novo entrar na vida saudável pra me curar, só pra meus pais me obrigarem de novo a comer coisas que me dão gatilho, e o ciclo se repete
Eu tenho ataques de pânico constantes, eu não acredito mais no que eu olho no espelho, eu só acredito no que meus pais me falam, eu não sei mais o que fazer, mesmo que eu tente fugir, eles tem um controle total sobre mim, seja mental ou físico, e eles continuam a falar pros outros como eu estou bonito, mesmo eu sabendo que eu não gosto do que eu vejo no espelho e eu não posso mudar, porque senão o pânico vai acontecer de novo.
É como se o que eu vejo no espelho caçoasse de mim e meus pais se orgulhassem de uma versão desfigurada de mim, eu não tenho amigos pra me ajudar a sair desse controle que eles tem sobre mim, eu não sei o que fazer pra fugir disso, eu só quero ser feliz e estar bem com quem eu sou. E qualquer reclamação que eu faço com eles, eles voltam pra Deus, eu falo sobre o meu futuro e sobre como eu quero morar sozinho com o emprego dos meus sonhos e eles perguntam onde Deus está nisso tudo, eu tento me melhorar de novo e eles falam que eu estou idolatrando meu corpo e eu tenho que idolatrar Deus, eles me fizeram terminar com a única amizade que eu tinha porque a garota era lésbica e agora eu não tenho ninguém e eu tenho medo de fazer amigos, porque eu nunca tive habilidades sociais muito boas (o que meus pais criticam constantemente).
O que eu faço?
submitted by Necessary_League8489 to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 07:24 vitulo Descobri um câncer grave aos 25 anos no meio da pandemia

Oi amigos,
Primeiramente queria dizer que sempre acompanho os desabafos de todo mundo por aqui e sinto que esse é um bom lugar pra se sentir bem com os seus problemas.
Eu tenho 25 anos, uma carreira muito bem sucedida (+20k mês), namoro e moro junto com minha namorada há 8 anos, tenho 2 cachorros que amo demais e tudo tava praticamente perfeito. Como qlqr um da nossa idade, nunca me preocupei com saúde e trabalhaviajacurtir eram as minhas prioridades.
Eu tinha uma pinta nas costas que cresceu de tamanho e no ano passado fui na dermatologista olhar, na época ela disse que era só estético e que meu plano não cobria o procedimento (claramente cobria, mas ela fez isso pra ganhar pelo procedimento) e que eu podia pagar ou manter assim. Decidi manter pois em momento algum me incomodava esteticamente, mas se eu soubesse o que ia rolar depois pagaria o dinheiro que fosse pra tirar...
Eis que na pandemia essa pinta virou uma pequena verruga, e ainda com aquele diagnóstico eu fui deixando passar. Até que em setembro eu procurei uma outra dermatologista que tirou a verruga e mandou pra biópsia. Num certo dia de setembro a dermatologista me liga por volta de 23hrs dizendo que eu teria que ir lá no primeiro horário, e aí a gente já começou a se preocupar.
Cheguei no consultório pela manhã e ela me disse o diagnóstico: melanoma metastático, o tipo mais grave de câncer de pele. Na hora o meu mundo caiu (eu acho que é uma sensação muito difícil de descrever, em poucos segundos toda a sua vida passa na sua cabeça e vc começa a se planejar pro pior) mas eu tentei me manter o mais estável possível até pra não preocupar minha namorada e os meus pais (que moram em outra cidade).
No mesmo dia fui no consultório do cirurgião oncologista e ele me descreveu a situação. Meu caso era relativamente grave e o câncer de pele é um dos mais traiçoeiros pq ele pode aparecer de diversas formas depois. Fiz todos os exames possíveis e imagináveis e por sorte o câncer não se espalhou pra nenhum outro órgão, mas p/ os linfonodos da axila. Ter o diagnóstico com 25 anos e sem nenhum outro caso na família ainda piora bastante a situação, pois é um tipo de câncer que geralmente acomete as pessoas mais velhas.
Fiz uma cirurgia depois de 2 semanas pra tirar o melanoma, abrir uma margem de segurança e tirar o linfonodo que tb tava acometido. Por sorte, tudo bancado pelo plano de saúde da empresa.
Em outubro, comecei a imunoterapia, um tratamento muito recente que ativa o sistema imunológico pra identificar e tratar possíveis metástases da doença. Por um lado, me sentia azarado por ter sido pego por essa doença, mas pelo outro me sentia muito muito feliz por ter acesso à um tratamento super caro (+50k mês) e por receber tanta energia positiva das pessoas que gostam de mim.
Agora em novembro tive que pausar o tratamento pq ele tá acabando com a minha tireoide, e pelos exames recentes tenho tb um hipertireoidismo pra tratar pelo resto da vida. Além disso, descobri uma nova pinta perto da cicatriz da cirurgia que apareceu muito rápido, com um aspecto muito parecido com melanoma. Fiz uma outra pequena cirurgia pra tirar ela e mandaram de novo pra biópsia, vou saber o resultado na semana que vem...
Comecei a terapia no mês passado, o que vem me ajudando mas não tanto pq é difícil desabafar com alguém que nunca passou por isso. Ao mesmo tempo procurei alguns grupos de apoio de pacientes com melanoma, mas tbm não me senti bem pq me parecia muito "mórbido".
Tô tentando levar a vida numa boa, vivendo um dia de cada vez e dando valor às pequenas coisas, e de verdade estou feliz com isso tudo. Sempre fui uma pessoa de fazer planos pro resto da vida, e ter qlqr pensamento de que minha vida vai acabar mais cedo do que eu imaginava não entra na minha cabeça.
Ao mesmo tempo, viver isso tudo numa pandemia, onde eu não posso estar perto dos meus amigos, da minha família e das pessoas que eu gosto é uma completa merda (e ainda tenho que tomar cuidado em dobro pq agora sou grupo de risco).
O câncer não me representa, eu não estou numa batalha contra ele onde vou "ganhar" ou "perder" como todo mundo costuma dizer, e eu não quero ninguém com dó de mim pq eu era "muito novo".
Eu espero poder voltar com um update daqui há 1 ano de que tudo deu certo. Nunca vou estar "curado", mas comemorando cada ano novo de vida.
Cuidem da sua pele, usem protetor solar e façam seus exames, pfvr.
Obrigado pelo espaço. :)
submitted by vitulo to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 05:33 gusaow Solidão. Até que ponto é saudável?

Tenho 17 anos, sempre fui muito sozinho a vida toda, tenho poucos amigos pois sempre estudei no mesmo colégio; esse colégio é relativamente pequeno e nunca entrou gente nova nele. Por conta de ter tido poucos amigos nunca tive muitas oportunidades de sair e se relacionar com gente nova e eu me sinto mal por isso, sinto que desperdicei uma das partes da minha vida em que eu mais deveria ter aproveitado. Eu sempre gostei de ficar sozinho, ainda gosto, me sinto independente e livre sozinho, mas sempre senti um pouco de falta de ter alguém pra conversar as vezes. Recentemente tive minha primeira namorada mas acabamos terminando. Ela tinha vindo atrás de mim pelo instagram, ela é depressiva e toma remédios etc.. Nós terminamos pq ela me disse que é muito instável e não quer acabar me magoando como já fez com outras pessoas, eu entendi e terminamos numa boa. Tinha sido a primeira vez em que eu tive companhia, nunca tinha tido alguém pra conversar todos os dias. Depois q eu saía do colégio era difícil eu conversar com alguém o resto do dia. A companhia dela estava me fazendo muito bem, mas acabei voltando pra solidão, agora ainda pior pois eu ainda a amo e me sinto mal por ter lhe perdido. O ser humano necessita ter seu tempo consigo mesmo, mas acredito que eu já passei do limite saudável...
submitted by gusaow to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 02:25 gab19ify Sim, VOU CONTRATAR OS SERVIÇOS DE UMA MOÇA DA NOITE (+18)

Então, não sei como começar a minha história, bom, eu tenho 20 anos, tenho vários problemas pra conversar com garotas, já me apaixonei mas ela me fudei, depois eu conto essa história, e eu até converso com garotas mas todas elas são lesbicas, estranhamente só tenho amiga lésbica, talvez o mundo tenha mudado e eu sou o amigo hetero q as mina fica "ala o nosso amigo hetero kk" enfim, não fico com uma mulher desde 2018, sim, 2018, não me apaixonei de novo e não gosto de ninguém atualmente, mas no carnaval desse ano eu tentei mas a mina estava bêbada e quado fui beijar, ela vomitou, não me ofendi, acontece, desde então estou assim, na ocasião de 2018 foi quando eu perdi a virgindade, essa história também é boa, mas pra resumir foi meio rápido, sem jeito, a mina meio q broxou pq ela começou a fazer barulhos através da... v4gi, digamos assim, depois desse dia nunca mais toquei numa mulher, e recentemente parei com a masturbação e com porno, pq eu estava me sentindo um lixo, entretanto, depois de 21 dias de nofap, comecei a me sentir estranho, com um TESAO INCONTROLÁVEL, mas me mantenho firme, então veio a ideia de contratar os serviços de uma garota de programa, sim, isso mesmo, sabe, talvez ao ler isso vc já saiba q sou uma pessoa 100% tímida, não sei falar com ninguém sem gaguejar, e tenho medo de q algo de errado, mas estou decidido a fazer isso ainda na próxima semana, é só isso mesmo, vou relatar oq acontecer e tomara q de tudo certo
submitted by gab19ify to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 01:49 kionda_movey Simplesmente CheckMate

Essa história é meio longa e não é linear, mas vou me esforçar pra resumir o máximo pra não exagerar aqui. Eu sou homem, tenho quase 20 anos e sou de uma família de classe média muito (muito) tradicional e conservadora. No final do ano passado eu comecei a namorar e aconteceu uma gravidez inesperada (apesar dos precauções), hoje temos um bb de 3 meses.
O que ocorre é que agora eu sou "forçado" a ficar com ela o resto da minha vida, já que temos um filho e tals, e eu gosto dela (hoje estamos de boa) o problema é que eu não sei se ela é "a pessoa" e eu ainda queria conhecer muita gente e aprender com outros relacionamentos; eu já fiquei sério com outras meninas, mas minha atual também foi a primeira namorada que eu assumi.
Eu gosto muito da minha família, daria minha vida por eles, mas tenho que manter uma certa postura por ser o filho mais velho, não tenho a liberdade ou espaço pra conversar com ninguém da minha família sobre isso. Além disso meus pais sempre foram superprotetores e raramente me deixavam sair com amigos (pq eu ia me drogar ou ser sequestrado), o resultado é que tenho pouquíssimos amigos e quase nenhuma habilidade social. Os poucos amigos que eu tinha se afastaram por causa da pandemia, estou em cárcere privado e não tenho uma boa presença virtual. Em resumo, estou sozinho e tenho que guardar tudo pra mim.
Minha namorada gosta de animes e se veste tipo egirl, mas ela não chega a ser otako. Nesse ponto a gente não combina, eu gosto de ler e pesquisar sobre economia e política, ela gosta de jogos online e assistir anime. O resultado é que 99% dos amigos dela são homens que assistem animes e jogam, e como ela joga online, esses caras conversam mais com ela do que eu. Isso me deixa muito mal, eu até tentei jogar mas sou horrível fui xingado a cada 2 seg, então fiquei com raiva e nunca mais joguei.
Ela também sai pra festas, eu não gosto de beber pq já tive muito problema com bebida, e simplesmente não consigo conversar com os amigos dela (em parte por não entender as conversas de shitpost e também por não ter habilidades sociais). Por isso fico em casa sozinho enquanto ela sai com os amigos homens, de saia e cropped. Eu sempre fui muito honesto e odeio traição, tipo krl pode ficar com outras pessoas mas tenha o mínimo de respeito e termine cmg antes se for fazer isso mds. Mas mesmo assim provavelmente ela me trai, eu não tenho provas, ninguém vai me falar pq não tenho contatos e não vou dar a doida de aparecer lá do nada pra pegar ela no flagra. Eu fico muito triste pq ela tem depressão, borderline e ansiedade e por isso ela bebe muito, mas ela está amamentando e eu não posso fazer nada. Se eu falar pra alguém isso vai criar um problema pra ela por umas 3 semanas, depois ela vai voltar a beber, a única diferença é que minha família vai odiar ela e eu vou ficar preso a uma pessoa que todo mundo da minha casa não gosta, então "denunciar" o consumo de álcool dela está fora de questão.
Eu tinha muitos plano pra esse momento da minha vida, queria visitar um tio que mora na Alemanha, ele iria pagar minha passagem e eu ficaria uns 6 meses na casa dele estudando. Tinha vontade de conhecer muitos lugares e me dedicar aos estudos, mas esses sonhos estão acabados pq agora tenho que "ser homem" e trabalhar pra comprar as coisas do meu filho, não consigo me dedicar aos estudos e não consigo fazer outros cursos para desenvolver outras habilidades (sempre quis tocar violão e sou péssimo em excel) pq quando não estou trabalhando nem estudando pra faculdade, tenho que cuidar de um bebê.
Não tenho nenhum amigo pra conversar, não posso sair de casa, me relaciono pouco com minha namorada por gostarmos de coisas diferentes e esse sentimento de ela estar me traindo está me matando por dentro, a desconfiança cresce como um câncer e me dá vontade de abandonar tudo e sumir pra sempre. Não posso falar sobre isso com minha família e pra mim tudo o que eu sempre quis fazer nunca vai passar de um sonho. É como se eu tivesse desperdiçado a "melhor parte da minha vida".
Hoje toda vez que eu encontro minha namorada eu tenho um embrulho no estômago por pensar que ela dormiu com outros caras e mesmo assim eu estou preso a ela. Não vejo nenhuma possibilidade de realizar meus sonhos e metas de vida e nem posso me dedicar aos estudos. Isso não me deixa desesperado nem com vontade de gritar de raiva, é como se eu já tivesse desistido, sem vontade de resistir a mais nada, como simplesmente flutuar em um mar gelado com esse gosto amargo na boca, sem condições de lutar. A pior parte do meu dia é quando eu acordo e me lembro que tudo isso não foi um sonho ruim, e não tem nenhum dia que eu não peça a Deus pra me levar, seja em um acidente ou doença. Eu não estou cansado de uma vida difícil, mas angustiado por ver um futuro longo e infeliz independente da direção em que eu olhe.
Fico feliz em poder tirar isso do meu peito e desculpe se houve algum erro de digitação, obrigado por deixar eu compartilhar essa história com você.
submitted by kionda_movey to desabafos [link] [comments]


2020.11.21 20:49 RGamerOF Apresentação / Thank Tou

Ola. Tudo bem ? Me chamo Robson conhecido como "RGamer" tenho 24 ano, eae você gosta de jogos ?
Você como eu provavelmente já jogou alguns jogos que tem muito desafio, obstáculos e até mesmo situações tristes e felizes, pois é minha vida é parecido com os jogos, tem dias que a fase está boa, outra tá difícil e algumas parecem que nunca vou conseguir sair da mesma fase, coincidência ou não desde do meu nascimento foi assim, nasci em Ribeirão Preto no interior de SP, e desde então minha vida não foi nada fácil, parece que eu nasci e cliquei modo difícil ou especialista, muitos dificuldades e muito aprendizado, mas também tenho que dizer que passei por momentos incríveis que jamais irei esquecerei, e claro continuo essa saga para poder concluir minha missão que só está começando. Meu sonho e se tornar um STREAMER profissional, desde moleque vivia jogando com meus amigos em Lan house sempre era o moleque indiabrado que platinava os jogos aquela época zerava né rsrsrs , e estou próximo de conseguir realizar esse sonho mais pra mim realizar esse sonho eu dependo de vocês. Hoje eu estou fazendo live na "TWITCH" que me dei uma grande oportunidade de mostrar quem eu sou com o público e fazer oque eu gosto, se você tiver afim de me conhecer e saber mais sobre mim entra lá no canal pra agente conversa, e jogar juntos. Te espero lá, ah espera aí esqueci de passar o canal 🤦 mais relaxa já tá aí embaixo . 😀
🎮 Twitch.tv/RGamerOF
Agradeço desde já, lembrando sou apenas mais um menino correndo atrás de realizar um sonho ❤️🙏
submitted by RGamerOF to u/RGamerOF [link] [comments]


2020.11.21 19:31 SpaceshipFive Sobre contar para os amigo e eles não acreditarem em você...

Um mês atrás - mais ou menos - aqui nesse sub eu falei um pouco sobre como a bissexualidade pode ser confusa. Estou trabalhando cada vez mais no meu autoconhecimento e também autoconfiança. Nas duas últimas semanas encontrei com um grupo de amigos - depois de mais de 8 meses sem se ver e acabei falando como ao longo dessa quarentena me descobri bissexual.
Teve um silêncio constrangedor, uma pausa longa, meus 4 amigos trocaram olhares e eu pude perceber na hora que eles não acreditavam em mim. Automaticamente me senti a pessoa mais estúpida por ter falado isso em voz alta, é claro que para eles é algo estranho, eu sempre fui o estereótipo de garota heteronormativa, só namorei caras, nunca demonstrei interesse em garotas, além de todo um lance com a questão da aparência (no sentido de que eu "não pareço ser uma pessoa LGBT").
É muito ruim perceber que a primeira reação de pessoas que são próximas de você é duvidar de quem você é, mas ao mesmo tempo em que me senti mal por ter falado publicamente que sou bissexual, eu me senti tão bem (?). Passei anos sem me entender, sentindo coisas que eu não sabia definir, agora compreendo que gosto de ambos o sexos, então, danem-se os outros, desde que eu esteja bem comigo mesma.
Claro que o primeiro comentário foi "mas você já transou com uma garota?" e, sinceramente, transar com alguém do mesmo sexo é a coisa que menos importa. Ninguém questiona um cara hétero e virgem sobre a orientação sexual dele, mas basta você dizer que é LGBTQIA+ e as pessoas vão jogar essa pergunta na sua cara.
A ironia: esses meus amigos também fazem parte da comunidade LGBTQIA+... Não vou negar que esperava um pouco de compreensão da parte deles, mas agora que entendi que isso não vai rolar, não vou criar expectativas quanto a isso. Apesar deles terem ficado meio esquisitos com a notícia tenho pessoas que me apoiam, decidi não tocar mais no assunto com eles por que não preciso ficar me reafirmando pra ninguém ;)
É isso. Stay awesome Gotham.
submitted by SpaceshipFive to arco_iris [link] [comments]


2020.11.21 19:19 Leonciojv Não consigo parar de me comparar a todos a minha volta

Eu estou desde alguns anos atrás com depressão e já tentei até mesmo cometer suicídio, onde por causa que não gosto de deixar nenhuma questão em aberto agradeci a meus únicos 2 amigos que perceberam e ficaram horas me convencendo a não me matar. E agora eu tenho um outro problema não consigo parar de colocar todas as pessoas em um pedestal e me colocar como lixo não conseguindo ver nada de bom em mim, me sentindo apenas um peso desnecessário para os meus parentes e amigos, e para melhorar eu estou tenho uma crise de "meia idade" com apenas 18 anos, não sabendo se vou conseguir passar no Enem, arrumar uma faculdade, arrumar minha vida, tem dias que eu choro durante as aulas porque eu penso que sou um merda comparados aos outros alunos. Mesmo tentando o meu máximo viver 1 dia de cada vez eu logo volto a pensar no amanhã, e no dia seguinte e no próximo. Não sei oque fazer mesmo fazendo psicóloga eu não consigo ver nenhuma melhora. Mesmo minha mãe tentando ao máximo fazer eu perceber que eu só preciso ser feliz para ela ser feliz. Eu só não consigo. Talvez eu só não goste de como eu sou ,talvez, eu só tenha visto anime/Kamen Rider e outras séries de mais, talvez eu só esteja querendo algo que apenas eu consiga fazer, ou apenas saber oque fazer a sequir.
submitted by Leonciojv to desabafos [link] [comments]


2020.11.21 15:16 _mirrorball_ Preciso de ajuda com a minha mãe

Bom, eu tenho 18 anos e sou cristã (presbiteriana) e realmente acredito e pratico, tanto que sou batizada. No entanto, eu não vivo uma vida de extremismos como vejo muitos vivendo de falsos sacrifícios, muitas vezes desnecessários. Isso quer dizer que gosto de sair com meus amigos da escola e da faculdade, beber (sem ficar bêbada) e curtir um pouco outras coisas.
Eu frequentava os cultos de sábado e domingos, mas ultimamente tenho saído no sábado com meus amigos e domingo, indo a Igreja. Isso começou porque, nessa quarentena, sofri de uma grande decepção com meus “amigos” da igreja, o que acabou me afastando um pouco deles e me tirando a vontade de ir no sábado, onde é um culto mais reservado para nós, os jovens.
Minha mãe sabe de todas essas coisas e expliquei a ela que gostaria de manter a dinâmica de sair com esses meus amigos no sábado e ir ao culto, de manhã e de noite, nos domingos. Ela pareceu ficar de boa, pois ela também é crente mas não tão religiosa, assim como eu.
Mas, recentemente, quando vou sair aos sábados ela fica me perguntando se não quero ir ao culto e dizendo que não vou há algum tempo e isso me irrita, porque parece que ela não escutou nada do que eu disse e faz me sentir como se eu estivesse fazendo algo de errado.
Ainda por cima, fica insistindo para eu paquerar com um menino (da igreja) pelo qual gostei por 2 anos (e ela sabe de tudo), mas que desisti porque vi que, apesar de meus esforços, ele não gostava de mim desse jeito e, bem, eu tenho amor próprio e consciência suficiente para saber quando parar. Antes, ela mesma que me dizia pra esquecer ele, mas tem me aperreado com isso sem motivo algum.
Estou fazendo algo errado? Como posso lidar com isso? Me frustra porque quero muito sair com esses meus outros amigos, mas ela me faz sentir que estou deixando de cumprir um suposto dever e fico com peso muito desconfortável na consciência.
submitted by _mirrorball_ to desabafos [link] [comments]


2020.11.21 14:03 Russo664 Ser emocionalmente a "garota" da relação é uma coisa ruim? kkk

Eu vi isso em um post, até comentei lá mas quis fazer o meu próprio. Atualmente eu não namoro, e eu venho crescendo e aprendendo muito sobre mim, se algum dia calhar de acontecer, sinto que estou preparado comigo mesmo pra isso.
(Tenham amor por si mesmos! vai te fazer entender muita coisa e sua forma de se sentir com os outros vai ser bem menos dolorosa.)
Mas sobre ser uma "garota" em um relacionamento, eu quero dizer o esteriótipo, ser amoroso demais sabe? Minha personalidade é toda assim, sentimental, eu não escondo meus sentimentos, eu gosto de ser amoroso e mostrar o quanto de amor eu tenho, e eu me amo justamente por ser assim, foi dessa forma que eu me encontrei, e sinceramente, se a pessoa não gostar disso, eu tô fora, não quero ser nada além de mim mesmo com alguém que eu queira amar.
Eu não conheci muitas pessoas que fossem assim, e gostaria de conhecer! Com uma personalidade mais sentimental só foram alguns amigos gays e algumas amigas em geral. a sim, e eu sou hétero
bom dia pro cês!
submitted by Russo664 to desabafos [link] [comments]